A irracionalidade à espreita

Revista Desvio

Em O incômodo da democracia escrevi sobre a proximidade entre a propaganda nazista e a propaganda utilizada na campanha política de Jair Bolsonaro. Ao visualizar o fim das eleições e a ascensão do fascismo, lembrei-me do texto A Teoria freudiana e o modelo fascista de propaganda de Theodor W. Adorno (1951). Esse texto é fundamental para pensar sobre a relação entre as massas e o líder, tal como a propaganda é necessária para a ascensão de um ditador.

O líder autoritário conta com a propaganda fascista e com agitadores, pessoas que preparam o conteúdo posto em circulação, abordando temas políticos pouco concretos e racionais. Esses agitadores estão a serviço dos líderes fascistas, estando centrados na ideia deste líder, não importando se ele realmente lidera ou se apenas faz parte do grupo. O que importa é a imagem a ser representada para as massas. Neste sentido, a imagem do líder necessita…

Ver o post original 224 mais palavras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s