No alvo do avesso do afeto: propaganda fascista e a caça aos LGBTIQ+

Revista Desvio

Ao entender o contexto atual e o crescente discurso de ódio contra grupos minorizados como negros e LGBTIQ+, retomo o texto A irracionalidade à espreita, publicado aqui na Desvio em 5 de novembro de 2018. Meses se passaram, mas a sensação de insegurança e a alienação das massas continuam.

Adorno (1951) analisa o início da ascensão fascista e o processo de captura das massas. A propaganda fascista conta com agitadores, pessoas que preparam uma polêmica, discurso sobre menino vestir azul e menina vestir rosa, frases sem muito nexo, que escondem temas já trabalhados pela comunidade científica, mas que são ignorados. Esses agitadores, como a ministra Damares Alves, carregam em seu discurso uma agressividade irracional, dirigindo seu ódio às pessoas que fogem da heteronorma, por exemplo. Depois, têm como pauta um único propósito político: a abolição da democracia por meio do apoio popular.

A publicidade fascista age na criação de um…

Ver o post original 563 mais palavras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s