A democracia como arte decorativa

Revista Desvio

Analisando essa cadeia hereditária

quero me livrar dessa situação precária

onde o rico fica cada vez mais rico

e o pobre cada vez mais pobre

e o motivo todo mundo já conhece

é que o de cima sobe e o de baixo desce

Lutar pela popularização das artes é tarefa árdua. Aqui em Brasília a situação não é diferente do que outras cidades já enfrentam. Dos espaços artísticos aos editais, um pequeno círculo acadêmico de amigos domina e perpetua, às vezes inconscientemente, a ideia de que a arte é para poucos.

Os espaços culturais, como o CCBB e o Museu do TCU costumam ser inacessíveis à população, favorecendo apenas quem tem um meio de locomoção próprio. O Espaço Cultural Renato Russo, que sobrevive por meio de parceria público/privado, sofre com a falta de organização, com o desleixo com os artistas e o descompromisso com o público.  Por mais…

Ver o post original 311 mais palavras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s